G44 – Reconhecer São Paulo

O grupo vem fazendo um largo estudo sobre como a música abraça a cidade de São Paulo. Uma de nossas grandes aproximações foi um longa conversa com o historiador e jornalista Assis Ângelo – contato primordial para nos mostrar que além das músicas se linkarem a lugares  e edifícios específicos,  as músicas que retratam São Paulo fazem o esforço do “ se fazer pertencer”. Não é por acaso que muitas delas foram feitas por imigrantes, a citar o mais famoso compositor e imigrante Adoniran Barbosa.

Tendo em mente um apanhado de lugares de São Paulo que são cantados e a noção de que esse lugares estão “ para fora das instituições”, eles estão NA cidade, o grupo tomou como norte de estudo o grande evento que tem como palco o espaço público: a Virada Cultural.

A escolha da Virada Cultural se deu por três razões:  ser o maior evento da cidade, o mais plural [ em questão de ritmos musicais] e por ser organizado por um órgão público. Sendo assim, os próximos passos que o grupo dará será no sentido de repensar o evento no âmbito cartográfico e espacial: a partir de todos os mapas produzidos do evento, faremos um estudo aproximado deles para depois propor caminhos alternativos para o evento se dar na cidade.

A virada cultural se dá no palco da cidade. Esta é uma das aproximações mais significativas entre música e cidade/espaço público.