PASSAGENS – G29

CAIO SERTÓRIO PAULO FERREIRA, ANA HELENA REALE COLUCCI, ISABELLA DE BONIS SILVA SIMÕES

 1ª ETAPA

Rua Coimbra – Brás

Passagem, definição de transições, sejam físicas, espaciais ou sociais, são vistas na Rua Coimbra, no bairro do Brás. Paralela a Av. Celso Garcia, importante via de ligação da região leste com o centro da cidade, esta pequena rua se engrandece e se distorce conforme seu forte apelo para a comunidade boliviana em São Paulo.
Ao longo de sua área de influência, as fachadas se transformam, saem de cena os letreiros em português do comércio popular do Brás e entram as placas em espanhol, surgem peluquerias, restaurantes servindo pollo e chicha cochabambina, brotam casas de câmbio. A bandeira da Bolívia passa a ser um padrão, as fachadas ganham suas cores e restabelecem a linguagem do espaço público.
Espaço público sim. A transição se dá tanto na escala da cidade, entre o eixo rodoviarista da Celso Garcia e o localismo da Rua Coimbra, quanto pela linguagem, pelo simbolismo explícito das fachadas, de linguagem comercial. O terceiro fator de transição é o social, da cultura de ocupação distinta das calçadas, do meio de apropriação da feira dos finais de semana e dos anúncios de alugueis de casas e máquinas em painéis espalhados pelo espaço.
A singularidade da Rua Coimbra revela vontade política de ser vista, em conjunto ao ganho da Praça Kantuta, como praça simbólica dos bolivianos. Empresários e instituições da região se encontram com a Prefeitura em busca de viabilizar um projeto arquitetônico para via, acima da qualidade do projeto, temos aqui claramente uma busca por legitimação de uma apropriação na cidade que possui extrema riqueza. O objetivo é de futuramente pensar criticamente esse projeto.

 

2ª ETAPA

1

 

2

 

3

4

 

Significado de Passagem

s.f. Ato de passar.

Lugar por onde se passa.

Travessia.

Quantia que se paga por uma viagem em qualquer veículo.

Bilhete ou comprovante desse pagamento.

Direito de passar pela propriedade de outro. (V. SERVIDÃO.)

Nas grandes cidades, galeria coberta por onde passam transeuntes.

Transição, mudança.

Lugar, trecho de uma obra que se cita ou se indica; passo.

loc. adv. De passagem, por alto, incidentalmente.

Passagem de nível, lugar em que uma via férrea é cortada por um caminho, uma estrada, no mesmo nível.

(dicio.com.br – dicionário online de português)

Dentro do rico cenário estabelecido pelos bolivianos na Rua Coimbra observamos que o espaço possui transições evidentes, barreiras, que criam uma costura mal feita entre a rua e o restante da região do Brás, essa ligação não gera conexão, e por isso exila e concentra a ocupação boliviana em um pequeno pedaço ao qual é destinada. Um dos fatores que explicita esse fato é a existência de um Centro Boliviano no local que se habilita a fazer um trabalho puramente comercial, mas que se designa pelo nome de um espaço social, esse fato comprova a falta de inserção social pela qual os imigrantes bolivianos tem passado em São Paulo. Tendo em vista essas questões o trabalho se propõe a construir essa passagem, que necessita ser espacial além de simbólica, e mapeia essas barreiras que solidificam a ocupação boliviana propondo programas e atividades que ajudem na transição desses imigrantes para uma vivência digna da cidade.

3ª ETAPA