PASSAGENS – G31

DÉBORA MAYUMI SEGAWA OKAMOTO, MANUELLA FERREIRA LEBOREIRO, MATHEOS CHAVES SCHNYDER, LARISSA FOGAÇA ARRUDA VEIGA

1ª ETAPA

MANU EH ESSE FINAL

Historicamente, o bairro do Bixiga aglutinou toda espécie de ocupação de insurgências: escravos fugidos criando quilombos, como o Saracura, imigrantes italianos calabreses trazendo suas artes e ofícios e seus saberes impregnados nos sobradinhos que hoje são tombados e posteriormente os nordestinos de todas as partes. Hoje o Bixiga é uma mescla de toda sua história, um território de todas as Artes e da manifestação do ser humano, repleto de características próprias e bem marcantes.

O território, até meio do século passado, tinha sua população de maioria negra. Surge daí a primeira escola de samba paulistana, a Vai-Vai, representativa na história do bairro Bela Vista, dos negros e do samba na cidade. Essa história está prestes a ser apagada com a chegada do metrô da linha seis laranja que ocupará o terreno que hoje abriga a sede da Vai-Vai para implantar a estação Bela Vista.

Tendo esse acontecimento em vista e o respeito por toda a história da escola de samba, tão representativa para o bairro, o projeto busca resgatar e afirmar sua presença. Desde a sede da Vai-Vai, a bateria percorre pelas ruas da Bela Vista durante toda a época de ensaio para o carnaval marcando um percurso, uma passagem. Esse percurso passa pelas ruas Cardeal Leme, Una, Almirante Marques Leão, Santo Antônio e finalmente a São Vicente. Levando tudo isso em consideração, serão propostas intervenções ao longo desse caminho para marcar sua história para a população do bairro.

1a

2a

3a

corte

 

2ª ETAPA

g31_entrega02_img01
paginação calçada

Nessa etapa foram pensadas intervenções de forma a manter a atmosfera histórica do Bixiga, traduzida especialmente pelo samba. Entendemos que essa atmosfera só pode ser mantida caso a Vai-Vai continue funcionando na região e potencializada por intervenções no percurso da bateria nos ensaios para o carnaval e integração com edificações tombadas.

Dessa forma foi pensada uma nova praça onde o metrô se instalará e nela, uma nova configuração de escola de samba será formada. A ideia é integrar o metrô com as atividades da Vai-Vai. Foram ensaiadas algumas formas de intervenção no local assim como nova configuração de calçamento no percorrer do trajeto a fim de facilitar esse percurso que poderá ser utilizado em diversos momentos. Para os dias normais a rua será espaço para compartilhamento de pedestres, bicicletas e carros pensando em um espaço de permanência. Em dias de ensaios da escola de samba, a rua será fechada para carros e bicicletas. Baterias serão muito bem-vindas! Durante todo o percurso foram analisadas formas de melhorar o fluxo de pessoas e facilitar a chegada para a praça do metrô/Vai-Vai, que é o grande ponto de convergência.

Para a próxima e última etapa serão realizadas melhorias nessa intervenção, de modo que fique clara a intenção de que o samba tem que continuar.

 

g31_entrega02_img02
Configuração calçada

 

g31_entrega02_img03
Planta nova praça Metrô|Vai-Vai

 

g31_entrega02_img04

corte transversal

 

g31_entrega02_img05

corte longitudinal

3ª ETAPA